Brasil completa uma semana com média móvel de mortes por Covid acima de 500

Foto: reprodução

O Brasil registrou nesta segunda-feira, 20, 248 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 591.034 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 557 –acima da marca de 500 pelo sétimo dia seguido. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +6% e aponta tendência de estabilidade pelo sexto dia, após 22 dias seguidos em queda.

O número de casos registrados em 24 horas ficou negativo devido à remoção de mais de 12 mil diagnósticos no balanço do Ceará (veja mais abaixo).

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta segunda. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Veja a sequência da última semana na média móvel:

Terça (14): 520
Quarta (15): 597
Quinta (16): 582
Sexta (17): 546
Sábado (18): 565
Domingo (19): 558
Segunda (20): 557

Em 31 de julho o Brasil voltou a registrar média móvel de mortes abaixo de 1 mil, após um período de 191 dias seguidos com valores superiores. De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média móvel acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Seis estados apareces com tendência de alta nas mortes: Roraima.

O estado do Acre não registrou nem casos nem mortes em 24 horas. Ceará, Roraima e Sergipe não registraram mortes em seus boletins do último dia.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 21.234.372 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com -2.389 desses confirmados no último dia. O número ficou negativo devido à remoção de mais de 12 mil registros no Ceará. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 32.758 diagnósticos por dia, o que resulta em uma variação de +71% em relação aos casos registrados na média há duas semanas, passando a indicar tendência de alta.

A média móvel de casos vinha em sequência de queda por 18 dias seguidos até a semana passada, se aproximando de 15 mil diagnósticos diários, mas saltou para acima de 30 mil nos últimos dias devido à inserção de dezenas de milhares de casos represados após um ajuste no sistema que concentra esses dados. Ao longo de três dias na última semana, RJ e SP incluíram juntos mais de 150 mil registros de casos por conta desse problema, o que resultou nesse salto na média.

Em seu pior momento a curva da média móvel nacional chegou à marca de 77.295 novos casos diários, no dia 23 de junho deste ano.

Fonte: G1

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta