Após morte de indígena, Bolsonaro diz ter “intenção” de legalizar garimpo no país

Foto: Marcos Corrêa/PR

Bolsonaro diz ter “intenção” de legalizar garimpo no país

Jair Bolsonaro abriu sua agenda da semana para falas polêmicas. O presidente afirmou nesta segunda-feira (29) que tem a “intenção” de legalizar o garimpo no país, plano que inclui a liberação da atividade em terras indígenas.

Bolsonaro deu a declaração ao comentar a tensão registrada no Amapá, onde a invasão de terras indígenas do povo Waiãpi por garimpeiros e a morte de um indígena são investigadas pelo Ministério Público Federal no Amapá (MPF).

“É intenção minha regulamentar o garimpo, legalizar o garimpo, é intenção minha, inclusive para índio. Tem que ter o direito de explorar o garimpo na tua propriedade. A terra indígena é como se você propriedade dele”, disse o presidente.

Bolsonaro declarou que, até o momento, não teve “nenhum indício forte” de que o indígena foi assassinado.

“Nesse caso agora aqui, as informações até o momento, vou atualizar de manhã, não tem ainda nenhum indício forte de que esse índio foi assassinado lá agora. Chegaram várias possibilidades. A PF está lá, quem nós pudermos mandar para lá já mandamos para buscar desvendar o caso e buscar a verdade sobre isso aí”, afirmou o presidente.

Os relatos de conflitos começaram no último sábado (27) e documentos de servidores da Fundação Nacional do Índio (Funai) afirmam que cerca de 15 invasores passaram uma noite na aldeia Yvytotõ de forma “impositiva” e “de posse de armas de fogo de grosso calibre”.

Com informações do G1.

Hackers presos na CPI da fake news

Parlamentares que sustentam o governo Bolsonaro e oposição devem explorar politicamente a prisão de quatro pessoas suspeitas de invadir celulares de autoridades. A ideia é usar a recém criada CPI das fake news para interrogá-los.

Com informações do Estadão.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta