A imagem da arrogância

Foto: Redes Sociais/Reprodução

Sempre respeitei Ronaldo Baumgarten por sua trajetória como liderança empresarial, mas deixo de fazer neste domingo, 29,  depois da falta de respeito que o candidato a vice na chapa de João Paulo Kleinubing (DEM) teve comigo durante a apuração conjunta que o Informe Blumenau fez com a Rádio Menina FM.

O candidato do PSD evidenciou a sua postura ao longo da campanha eleitoral, em especial no segundo turno. Destemperado para o cargo que postulava, manteve a postura arrogante de quem sempre se achou superior aos outros, inclusive aos seus adversários eleitorais, sem admitir eventuais erros.

Por volta das 18 horas, o Marcos Jana, o Marcão, ligou para ele durante a transmissão e me passou a segunda pergunta. Questionei a ele sobre os motivos que fizeram as pessoas acreditarem mais nas mensagens da chapa Mário Hildebrandt (Pode) e Maria Regina Soar (PSDB) do que na dobradinha dele com JPK.

Ele falou ao vivo que fez uma campanha transparente, que não “comprou a imprensa”, que eu era um jornalista vendido, elevando sua voz como, espero,  que não deva fazer nem na sua empresa. Confira:

Fiquei surpreso, todos na transmissão ficaram. De minha parte, realmente não entendi de onde ele tirou esta raiva toda, transformada em descontrole e despreparo para uma função pública.

No recente episódio dos áudios onde ele atribui o mal estar sofrido pelo candidato Hildebrandt no debate da ND a uma estratégia eleitoral, o Informe foi um dos primeiros a receber. Quando publicamos, citamos o áudio, não o transcrevemos e não falamos quem era o autor, apenas citando que era uma pessoa ligada a campanha de Kleinübing.

Em seguida, dois dos principais veículos de comunicação, a ND e a NSC, fizeram matérias e citaram Ronaldo Baumgarten. Naquele momento avaliei que o Informe errou em, tendo a informação, não ter citado o autor da mensagem infeliz. Tomei a decisão por um excesso de prudência por conta do período eleitoral.

É assim que faço jornalismo, há 30 anos, com acertos e erros, com as minhas limitações, muito trabalho, responsabilidade e ética. Não me vendo e não sou cabresto de alguém.

Não herdei empresa do meu pai, construí e construo minha trajetória profissional todos os dias, sou pai de quatro filhos, sendo que dois pequenos. O maior patrimônio que quero deixar para eles é minha integridade. Saber que o pai é um cara do bem e honesto.

Quero aqui agradecer o grande número de mensagens de solidariedade, de apreço e de força, isso realmente faz valer a pena.

Destacar também o papel do candidato João Paulo Kleinübing, que sempre manteve o nível, ele que deveria estar com a cabeça inchada. Perdeu, mas sabe que faz parte do processo democrático.

Respeito é bom e eu gosto.

 

 

6 Comentário

  1. Olha pra mim eram dois candidatos ruins, mas com essa do Ronaldo fico feliz que não ganhou, já achei uma falta de respeito aqueles comentários infelizes que ele fez por causa do debate e agora isso! Ele que cuide da empresa dele porque pra cuidar de Blumenau ficou claro que ele não servia.

  2. Caro jornalista, Alexandre Gonçalves!!!

    Ouvi, estarrecido, o excreto mental verborrágico desse sujeito e me dei conta de que não adianta ter patrimônio financeiro robusto se o patrimônio moral é… zero.

    A infeliz, deprimente e nefasta declaração desse sujeito, serve para mostrar o quão correto estava o escritor Maurice Switzer, ao dizer que: “É melhor calar-se e deixar que as pessoas pensem que você é um idiota do que falar e acabar com a dúvida.” Tristes tempos, onde, cada vez mais, como nos legou Maquiavel: “Os fins justificam os meios.”

    Felizmente, de forma acachapante, vexante, a política se livrou dessa desgraça e você, de forma honrada, mostrou ser sábio, ao não discutir com um imbecil. Afinal, eles, os imbecis, nos vencem, sempre, por serem experientes na área.

    Grande abraço!!!

  3. Cá pra nós… não precisa fazer força pra ver que realmente o Repórter Alexandre Gonçalves sempre deu uma mãozinha pra quem tá com o Orçamento da Secretaria de Comunicação na Mãos.
    Ele vive disso.

  4. A população respondeu a ele com 72 % dos votos , ou seja , 45 % de votos contrários . Quer resposta melhor ?

  5. Resposta elegante que talvez não seja entendida pelo truculento empresário, prepotente como deve ser com os empregados da empresa que herdou. Felizmente as urnas impediram mais esta figura que se mostra rancorosa, maleducada, chegar ao governo da cidade.

  6. Já pensaram neste sujeito prefeito de Blumenau? Sim, porque a estratégia seria eles se elegerem e daqui dois anos o JPK entregaria a prefeitura para esse destemperado para concorrer a um cargo na Câmara federal ou no senado, aí nossa cidade esteira em maus lençóis. Como esse sujeito não deve ser na empresa dele?

Deixe uma resposta