A força de Júlio Garcia, mais uma vez presidente da Assembleia Legislativa

Foto: Alesc

Por unanimidade, o deputado Julio Garcia (PSD) foi eleito, na manhã desta sexta-feira (1º), presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina para o biênio 2019-2021. Esta será a terceira vez que ele comandará o Parlamento estadual, comprovando sua força, ele que até pouco tempo estava como conselheiro do Tribunal de Contas. Deixou um cargo seguro e tranquilo para voltar a política.

Julio Garcia foi o único candidato ao cargo e destacou a importância da política no discurso. “Sou político. Mas não basta dizer isso. Quero dizer mais, que tenho orgulho de ser político. Não sou da política nova, nem da velha. Considero que isso seja apenas um bordão de campanha.”

Ele considerou a política indispensável para a busca da harmonia entre os diferentes e da busca do bem comum. Afirmou que os políticos são indispensáveis para isso, e os bons devem ser respeitados, assim como a Assembleia catarinense.

Julio Garcia é realmente um ser político.

Conquistou seu primeiro cargo eletivo aos 36 anos, ao ser eleito deputado estadual em 1986 pelo PFL, com 17.129 votos. Tomou posse na Assembleia Legislativa em 1987 e participou da elaboração da Constituição Estadual de 1989. Reelegeu-se para a Alesc em 1990, com 15.307 votos.

Nos anos 1990, durante o governo Paulo Afonso Vieira (1995-1998), Julio Garcia foi presidente do então Banco de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina (Badesc) e da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan).

Em 1999, retornou à Alesc, como segundo suplente do PFL. Permaneceu na Casa até a conclusão da legislatura, em 2003, e foi reeleito em 2002, com 32.573 votos.

Em 2005, elegeu-se presidente da Alesc pela primeira vez, com o voto de todos os 40 deputados, para comandar a Casa no biênio 2005-2007. Em outubro de 2005, assumiu interinamente o Governo do Estado de Santa Catarina por 12 dias e pode sancionar a lei de sua autoria, aprovada no mesmo ano, que instituiu o repasse de recursos públicos para todas as Apaes do estado (Lei 13.633/2005).

Reeleito deputado em 2006 com 51.010 votos, também pelo PFL, foi reconduzido à Presidência da Alesc para o biênio 2007-2009, novamente com apoio de todos os deputados.

Em agosto de 2009, renunciou ao mandato de deputado para ser conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-SC), órgão que presidiu entre 2014 e 2015 e do qual se aposentou em 2017.

Em 2018, filiou-se ao PSD e lançou-se candidato a deputado estadual, obtendo 57.772 votos, o terceiro mais votado nas eleições de outubro passado.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta