1ª Conferência Conexão SC-PE lota auditório do IFSC em Gaspar

Foto: divulgação

Longe de ser um evento para comparar as realidades de Pernambuco e Santa Catarina, a 1ª Conferência Conexão SC-PE, que aconteceu na noite desta terça-feira, 10, no auditório do IFSC em Gaspar, mostrou as potencialidades dos dois estados no segmento têxtil e levantou o debate sobre o que cada região deve avançar tendo em vista as rápidas mudanças do mercado.

Através do olhar de Allan Carneiro, empresário de Santa Cruz do Capibaribe (PE) com forte engajamento no setor – ele foi síndico do Moda Center, maior Centro Atacadista da América Latina – os mais de 170 inscritos no evento puderam refletir sobre as conquistas já alcançadas no segmento e projetar os próximos passos para acompanhar o crescente desenvolvimento globalizado. “Vocês aqui são muito organizados. E o nível técnico também é muito maior que o nosso no agreste. Então, é como nós dizemos lá, vocês têm a faca e o queijo na mão; são muito bons no que fazem, mas é importante pensar numa mudança no modelo de negócio por causa da globalização”, afirmou o empresário durante o bate-papo.

De acordo com Douglas Junkes, coordenador do Núcleo Têxtil da Acig, o encontro serviu para agregar conhecimento e inspirar os empresários aqui da região, tendo a expertise nordestina como modelo. “São modelos bastante diferentes de atuação e temos muito o que aprender com isso. O nosso perfil aqui é industrial, sabemos produzir e industrializar muito bem. Lá o perfil é comercial; a inspiração de Pernambuco é a forma versátil e ágil de divulgar e comercializar. São duas fases da cadeia produtiva que se complementam e um evento como esse serve justamente pra gente agregar formas diferentes de ação”, destacou Douglas.

Por ter um foco na venda dos produtos, o mercado pernambucano tem uma frente de atuação intensa no comércio digital e o trabalho com a imagem das marcas também é importante fase do processo de produção. “Foi preciso se adaptar à transformação do conceito de vendas. As pessoas usam o celular em momentos importantes da vida, imagina o que não fazem com o aparelho quando estão em casa, sem compromisso. O mercado pernambucano se moldou a essa nova forma de vida que a Internet oferece aos seus milhões de usuários e os resultados têm sido fantásticos. O consumidor compra mais online, tanto no atacado quanto no varejo. Instagram e Facebook têm um papel fundamental nas nossas vendas”, explicou Allan.

O consultor empresarial e escritor Roberto Vilela, que também desenvolve trabalhos com empresas têxteis tanto em Santa Catarina como em Pernambuco, foi quem intermediou o bate-papo e destacou as potencialidades do agreste nordestino. Para Roberto, o empreendedor de lá se adapta muito fácil às circunstâncias e tem a inovação como atitude corriqueira ao empreender. “Acredito que o que podemos aprender com o agreste nordestino é que eles são muito unidos – fator que é um obstáculo pra gente. Quando a classe empresarial se der conta de que juntos os resultados são melhores, a cadeia produtiva como um todo inevitavelmente se eleva no patamar de negócios”, apontou.

“A troca de experiências é sempre válida quando se pensa em desenvolvimento do setor. Certamente cada pessoa que esteve presente nesse bate-papo, sejam acadêmicos ou empresários, despertou em si uma necessidade de fazer diferente. As experiências do Allan têm muito a agregar à nossa realidade e fazer isso chegar ao conhecimento da nossa gente daqui é um passo certeiro na conquista pelo reconhecimento que tanto almejamos”, citou Sheila Censi Braum, da Censi Máquinas, responsável pela vinda do empresário pernambucano a Gaspar.

A 1ª Conferência Conexão SC-PE foi uma iniciativa do Núcleo Têxtil da Associação Empresarial de Gaspar (Acig), com apoio do IFSC, Prefeitura Municipal de Gaspar, através do Programa de Desenvolvimento Econômico Local (DEL) e Ampe. O patrocínio foi da Serelepe Kids, Junkes Contabilidade, Linhas Círculo, Rolu e Censi Máquinas.

Fonte: Trevo Comunicação

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta