Vereadores de Blumenau endurecem coro contra Maçonaria e entidades empresariais

Foto: Rafael Carrasco/CMB

O clima estava quente na sessão desta quinta-feira, na Câmara de Vereadores de Blumenau. Tudo por conta dos outdoors colocados pela SOMAR – Sociedade Maçônica Regional – em Blumenau nesta semana, criticando os gastos do Legislativo Municipal.

O vereador Alexandre Caminha (PSD) apresentou um requerimento, aprovado por unanimidade, questionando o Centro Empresarial de Blumenau (CEB) se há a viabilidade da instalação da Câmara Municipal de Blumenau no prédio que pertence ao CEB.

“Lá existem muitos espaços ociosos, por que não fazem essa doação à Câmara de Vereadores?”, perguntou o vereador autor, ao discutir a proposição. Acrescentou que vai apurar quem pagou pelo terreno, quem pagou pela construção do prédio e como os pagamentos foram feitos.

Vale lembrar – notícia dada em primeira mão pelo Informe em março do ano passado, que o imponente prédio erguido na Rua Antônio Treiss, está isento de pagar IPTU por dez anos, leia aqui.

Além do mais, nos cinco anos que durou a construção, o prédio do CEB não pagou taxas, emolumentos e ainda teve desconto de 100% do ISSQN, relembre aqui.

“Não admito empresários de classes como a Somar que se utilizam do dinheiro deles, que pode ser de alguns dos nossos aqui, para fazer propaganda política no momento em que poderíamos estar discutindo outros temas”.

Caminha sugeriu que a Somar utilize o dinheiro para auxiliar entidades ou coloque outdoors para discutir o voto útil, a mudança do pacto federativo ou a alta carga tributária, temas para os quais teriam apoio dos parlamentares. Questionou a moralidade de alguns membros dessa Sociedade e lembrou que a atual legislatura assumiu em 2017, não tendo relação com os gastos anteriores. “Dizer que o aumento registrado de nove anos para cá é culpa nossa é irresponsabilidade”.

O presidente Marcos da Rosa (DEM) também se manifestou, apresentando gráfico dos gastos da Câmara no mesmo período, assinalando que o aumento dos gastos foi de 59%, descontada a inflação, e não 170%, como consta nos outdoors. Ressaltou que parte do aumento nas legislaturas anteriores se justifica pela saída da Câmara do prédio da prefeitura e a realização de concurso público para cumprimento de Termo de Ajustamento de Conduta com o Ministério Público. Também apresentou aos vereadores outro gráfico com a diferença dos gastos entre os anos, apontando que essa legislatura foi responsável pela maior economia já registrada e que em 2018 a economia será de quase R$ 8 milhões.

Marcos da Rosa ainda questionou a motivação dos outdoors, dizendo que a Câmara cumpre compromisso com a sociedade de reduzir gastos, não aumentar o número de vereadores e nem reajustar os salários dos vereadores. “Não entendo o porquê dessa abordagem nesse momento, por isso estamos ouvindo muitas pessoas dizendo que a motivação é puramente política, para prejudicar a possibilidade de aumentar a representatividade política da nossa região”.

A Maçonaria e as entidades empresariais tem seus candidatos no pleito deste ano. Um deles, para deputado federal, é  Jorge Cenci (PSB), dono da Sênior Sistemas.

Bruno Cunha (PSB) opinou que o outdoor foi um equívoco e que a entidade deve desculpas à Câmara e aos vereadores que são integrantes. “Pegaram números descontextualizados e colocaram isolados dando a entender que nós todos somos grandes gastadores de dinheiro público, justamente no período eleitoral. Não podemos permitir esse processo de criminalização da política, que tira o incentivo para que outros participem desse processo”. Lamentou que em Blumenau lideranças empresariais joguem contra a valorização do voto local, os mesmos que posteriormente reclamam da pouca verba pública disponibilizada para Blumenau.

Já o vereador Adriano Pereira (PT) registrou que existem grupos empresariais que buscam manchar a imagem do Poder Legislativo e batalham pra prejudicar o possível aumento da representatividade política da região. “É apenas aproveitamento político feito por quem não tem competência de se eleger ou não tem coragem de colocar o nome à disposição nas urnas para fazer mais ou melhor do que estamos fazendo”.

 

6 Comentário

  1. Pelo naipe de alguns integrantes dessa sociedade nada secreta, se pode afirmar que a última coisa que os move é a moralidade.

  2. Estão ofendidos Srs. Vereadores…??
    Porque não cumprem seus mandatos???
    Estão somente preocupados com sua eleição no pleito que se aproxima….
    ME DÃO PENA !

  3. Onde estavam os nobres vereadores quando o executivo isentou a CEB de pagamento do IPTU por dez anos???
    Cade a fiscalização no executivo????
    Agora estão magoadinhos???

  4. Sendo pobre ou rico, somos seres humanos cada um com os seus pecados. Que atire a primeira pedra quem não os tem.

  5. Muito boa a colocação do leitor Renato , onde estavam vossas excelências ?

    Cumpram seus mandatos , deixem de dar golpe no eleitor .
    A preocupação não é com os gastos e sim com a eleição, tenham dignidade por favor .

Deixe uma resposta