Vereador Jovino Cardoso será investigado pelo Tribunal de Contas do Estado

i9ge_contabilidade
Foto: Jessica de Morais CMB

Mais uma para a conta do vereador do PSD, que não tem medo de uma polêmica. Desta vez por conta da CPI, criada em 2016, para investigar o uso de servidor comissionado da Prefeitura em propriedade particular e outras denuncias de irregularidade que teriam sido cometidas por Jovino Cardoso Neto (PSD) quando era vice-prefeito de Blumenau.

A CPI não deu em nada até agora, pelo contrário, Jovino foi eleito e seus principais algozes de então – Jefferson Forest (PT) e Fábio Fieldler (PSD) – não.

Mas agora, o Tribunal de Contas do Estado anuncia que vai investigar as denúncias apresentadas no relatório da CPI da Câmara. Pediu novas diligências.

No despacho do TCE, o relator Gerson dos Santos Sicca, pede à prefeitura que encaminhe cópias dos registros de ponto dos servidores que atuavam no gabinete do vice, entre agosto de 2015 e dezembro de 2016. Também pede os mesmos dados do período entre janeiro e novembro de 2017, quando Jovino já não era mais vice-prefeito.

Quem vai tocar a investigação é a Diretoria de Controle de Atos de Pessoal do TCE.

A CPI, cujo relator foi Forest, apontou que o então vice-prefeito teria contratado um servidor comissionado para trabalhar em um sítio de propriedade particular dele.

Além de Fábio Fiedler  e Jefferson Forest (PT), integraram a CPI, Jens Mantau (PSDB), Robinho Soares (PR) e Oldemar Becker (DEM). Todos foram unanimes em condenar Jovino Cardoso e assim encaminharem o parecer para o TCE e para o MP, além da Prefeitura.

Sobre a decisão do TCE, leia cpi jovino tce

O Ministério Público também está analisando o relatório da CPI.

Jovino sempre disse que a investigação foi política e tendenciosa.

Relembre um pouco do caso aqui.

 

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

1 Comentário

  1. Dois dos vereadores que condenaram o atual vereador respondem a processo no Ministério Público , era raposa cuidando do galinheiro .

Deixe uma resposta