TV Informe: AGIR detalha as mudanças no transporte coletivo de Blumenau

Foto: Informe Blumenau

Nesta quinta-feira, 15, acontece na Câmara Municipal uma audiência para discutir as mudanças no transporte coletivo de Blumenau. Ela foi motivada a partir da participação do vereador Almir Vieira (PP) na reunião da Comissão Técnica da AGIR, a Agência Intermunicipal de Regulação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí, na semana passada.

Nesta quarta-feira, 14, conversei com o diretor geral da AGIR, Heinrich Pasol, e Daniel Narzetti,  gerente de regulação de transporte, na rádio Nereu Ramos, entrevista que estou exibindo agora em vídeo.

No terceiro e último bloco, falamos sobre as tais mudanças, sobre o pedido de reavaliação da tarifa já feito pela Blumob, sobre a comunicação visual dos terminais, sobre a não revitalização dos banheiros de três terminais e sobre a própria audiência pública.

Vale a pena inteirar-se.

No segundo bloco da entrevista, falamos sobre como é atuação da AGIR no transporte coletivo de Blumenau.

No primeiro, sobre o papel da AGIR.

2 Comentário

  1. Hoje a itoupava central trabalha com horários de circular saindo do aterro e pegando aquele congestionamento da Maris a so Deus sabe quando ele vai passarada voltar pro terminal. São horários de cidade de 5000 habitantes, um de manha, um meio dia , um a tarde e uma a noite e assim que nos sentimos , fora a quantidade pessoas que se acumulam nos pontos a espera do ônibus que pode chegar a 50 minutos . Querem que usem ônibus se não há ônibus para ser usado e leva temp o para conquistar a confiança de que vai haver ônibus nos horários. Antes havia a casa 15/ 20 minutos um horário hoje e sistema circular. Simplesmente descaso e desconhecimento um loco dos órgãos que estão omissos a ouvir a comunidade de Blumenau!!!

  2. Julio,
    O SIGA era responsavel por segurança dos terminais , das estaçoes de pre embargue com ar condicionado , tinham obrigação de ter onibus articulado, não aceitavam aumento da tarifa
    conforme pedido do SIGA , o sindicato vivia na porta das empresas ou seja , fizeram de um todo para quebrar o consórcio .
    Trouxeram a Piracicabana com contrato emergencial , decretaram a caducidade do contrato de concessão e correram com o SIGA , a Piracicabana venceu a licitação não(imagina) não é responsavel por nada , nao cumpre o contrato , o sindicato fica quieto e tudo fica em paz , menos os usuários .Essa analise é superficial, mas a para sentir porque a CPI do transporte público em Bumenausempre foi engavetada pelos vereadores subservientes ao executivo, ou não ?

Deixe uma resposta