Soy loco por tri América 

Alexandre Gonçalves

Jornalista

 

Já gostei mais de futebol, mas permaneço literalmente apaixonado pelo Grêmio. Assisto quase todos os jogos pela TV.

Apesar de não ser gaúcho de origem, foi o time que me seduziu, lá atrás, quando eu tinha meus dez, onze anos, já morando em Porto Alegre, vindo do Rio de Janeiro pequeninho.

Era o auge do principal adversário, o Inter, lá pelos idos de 1975, 1976, um dos melhores times que vi jogar.

Optei, na época, sem influência alguma, pela equipe perdedora. O Inter foi hegemônico na década de 1970.

Desde lá, o encanto na camisa tricolor em azul, preto e branco permeia minha vida, fruto de conquistas e batalhas.

Sou um torcedor fiel, mas não fanático.

Gosto do jogo bem jogado, da aplicação tática, da garra. Do bom futebol. Do espetáculo.

E meu Grêmio tem feito isso ao longo dos últimos dois anos, coroando na noite desta quarta-feira com o melhor título que poderíamos sonhar.

Jogou muito.

A Libertadores da América é o objetivo de qualquer time grande e de qualquer torcedor.

Somos Tri. Três vezes campeão da América.

O futebol é catarse, é emoção, é paixão.

Durmo mais feliz.

PS: isso sem falar na corneta para os adversários, os colorados em especial.Outro ingrediente nesta química chamada Grêmio.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta