Sobrevivência

Diálogo

Após reunião com o futuro com o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e com o atual ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), avaliou que o entendimento entre os poderes Executivo e Legislativo só será construído por meio do diálogo, não “à força”.

Na semana passada, Paulo Guedes defendeu “prensa” nos parlamentares para o Congresso aprovar a reforma da Previdência.

Sobrevivência

Segundo reportagem do Jornal Folha de S Paulo, na impossibilidade de uma fusão entre os partidos que diminuíram de tamanho nestas eleições, surgiu a ideia de fazer uma “federação de partidos”. Partidos de centro como PSDB, PSB, PV, PSD e setores do MDB e do DEM podem dar início à formação de uma federação de agremiações que passariam a atuar em conjunto no Congresso e em eleições.

A reportagem do jornal Folha de S Paulo destaca ainda que “haveria uma vantagem em relação à criação de um novo partido: na federação, cada legenda mantém sua estrutura e seu fundo partidário, em geral de alguns milhões”.

“Lideranças do PSB, do PSDB e do DEM já conversaram. A ideia é juntar o governador Márcio França (PSB-SP), de SP, Geraldo Alckmin (PSDB-SP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ), entre outros, em torno do projeto. A federação vincularia as legendas, pelos próximos dois anos, tanto em votações da Câmara dos Deputados e do Senado como nas eleições municipais”, complementa a matéria.

Recuo

Jair Bolsonaro (PSL) informou na tarde desta terça-feira (13) que o Ministério do Trabalho não deve perder o status de ministério, mas que será incorporado em outra pasta. “Não vai perder o status de ministério, não vai ser uma secretaria.”

A equipe dele não definiu quais ministérios farão parte da fusão. O presidente eleito também não decidiu o nome que comandará o superministério. “Vai ser o Ministério disso e disso e do Trabalho.”

Na semana passada, o presidente eleito tinha anunciado o fim do Ministério.

Segue em Brasília

Jair Bolsonaro segue na capital federal e se encontra com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). Depois, recebe a visita dos embaixadores de Chile, Emirados Árabes Unidos, França e Reino Unido e um telefonema do secretário-geral da ONU, o português António Guterres.

Deve ainda se encontrar com governadores eleitos.

Ministro da Defesa

Mais uma vez Jair Bolsonaro usou uma rede social para anunciar seus passos, desta vez, mais um ministro: “O general do Exército Fernando Azevedo e Silva foi indicado para assumir o Ministério da Defesa”. General Augusto Heleno, que era nome certo para a Defesa, foi confirmado no Gabinete de Segurança Institucional.

“Saidinha”

Lula deve depor nesta quarta-feira (14) à juíza Gabriela Hardt, no processo que apura irregularidades na reforma de um sítio em Atibaia (SP). Será a primeira saída da sede da Polícia Federal onde está preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta