“Precisamos da ponte certa no lugar certo!”, diz Rodolfo Souza Neto

Esta postagem foi feita no dia 21 de janeiro de 2018, após a entrevista que fiz com o empresário Rodolfo Souza Neto na rádio Nereu Ramos. Como ele é o autor da ação que resultou na decisão do TCE de suspender a licitação da ponte Norte Sul, que já está suspensa por decisão da Justiça Federal, divulgada nesta semana, entendo como oportuno trazer a fala dele de volta. Tem até dois vídeos, onde é possível acompanhar a entrevista. 

Sobre a decisão do TCE, leia aqui.

Segue a postagem original.

O empresário Rodolfo Souza Neto está por trás da denúncia que resultou na ação do Ministério Público Federal que foi julgada procedente pela Justiça Federal em caráter liminar, que acabou suspendendo a licitação da ponte Norte Sul, a ponte idealizada pela administração Napoleão Bernardes (PSDB).

De família tradicional, Alemão, como é conhecido, é uma das pessoas que desde o começo posicionou-se contra a proposta da Prefeitura.

Entrevistei ele na semana que passou, na Rádio Nereu Ramos, e agora reproduzo aqui.

É morador da Rua Paraguay, no bairro Ponta Aguda, onde desembocará o tráfego da região sul de Blumenau.

É acusado de legislar em causa própria. “É uma absoluta verdade, tem alguém mais legítimo para fazer tal reivindicação? Se o pessoal das Itoupava tivesse prestado atenção, será que o viaduto da Mafisa seria construído da forma que foi? Conhecemos o bairro, vivemos o bairro. Esta ponte da forma que está sendo concebida vai acabar com nosso bairro”, referindo-se ao que chama de tentativa, por parte da Prefeitura, de desqualificar a reivindicação do pessoal da Ponte Aguda.

“É o sexto projeto da mesma ponte, que surgiu durante a campanha eleitoral de 2012. É pior versão de todas que surgiram”, critica.

Mostra a preocupação com os pilares da ponte, na curva do Rio. São seis, um em cada margem e quatro no meio do rio “A licença ambiental foi concedida de forma irregular, por falta de estudos aprofundados.” Disse que o projeto apresentado inicialmente não é o mesmo de agora. “A Prefeitura pediu licenciamento da Ponte que tinha o rebaixamento na Rua Itajaí, mas este projeto não será feito.”

Sobre a fluidez dos trânsito, fez pesadas críticas. “É um projeto estapafúrdio”, trazendo alguns dados para o debate. “A sinaleira na Rua Itajaí é ridícula”, prevendo que será insuficiente para dar vazão aos carros que virão do Garcia. Lembra que quem vem pela Rua Itajaí no sentido centro-bairro não poderá dobrar para pegar a ponte, terá que ir até a Fonte Luminosa.

Sobre o tráfego na Ponta Aguda. “Os veículos que chegarem no bairro pelo Garcia terão que fazer três paradas: na rua Rua Chile, na Rua República Argentina e na Rua Bolívia”, critica, destacando que a estimativa do Município é uma circulação de 15 mil veículos por dia.

“Vão trancar o trânsito na Rua Itajaí, vão trancar na Ponta Aguda!”Falou também: “o BID não aceitou financiar este projeto pois entendeu que ele não funcionará para a mobilidade urbana.”

Diz que apenas seis linhas de ônibus circularão no trecho exclusivo no sentido norte-sul.

Rodolfo Souza afirma ainda que a Prefeitura não explica como fará a desapropriação de parte da AABB e do restaurante Moinho do Vale, assim como alguns terrenos que serão afetados pelo traçado previsto.

Sobre o argumento recente que a administração Napoleão Bernardes apresentou, do custo da obra original, o que inviabilizaria a construção. “O projeto original custava R$ 80 milhões, pois a ponte não tinha pilares. Era só fazer uma ponte mais simples, ao lado da atual, a Adolfo Konder, alinhando os pilares.”

Caracteriza a postura da administração como “teimosia”. “Volto a desafiar a qualquer pessoas que não seja ligada a Prefeitura que defendeu esta ponte. Me diga um!”, destacando que os argumentos dele são também de engenheiros, arquitetos e urbanistas, além de associações e entidades que reúnem estes profissionais.

“Precisamos da ponte certa no lugar certo!”

A entrevista foi transmitida ao vivo pelo Facebook do Informe Blumenau, você pode conferir aqui e aqui.

Como sempre o Informe abre espaço para todas as versões. Não somos especialistas em trânsito ou obras, mas temos obrigação de abrir espaços para todas versões  e argumentos.

Nesta segunda-feira, na Rádio Nereu Ramos, a partir das 17h30, entrevistaremos o vice-prefeito Mário Hildebrand (PSB), quando abordaremos este e outros assuntos.

A licitação da ponte permanece suspensa, por força de uma liminar da Justiça Federal.

 

2 Comentário

  1. OK, estão fazendo uma maquiagem na cidade com dinheiro emprestado em dólar do BID, falta vereador com capacidade de questionar e fiscalizar o que esta sendo feito, “mal feito”

  2. O Alemão esta correto , tanto o executivo como a maioria do legislativo só querem a obra
    para poder falar na campanha e para campanha . Projeto mal feito, como tantas outras obras que a atual administração fez e esta querendo fazer , com aval dos subservientes do legislativo.

Deixe uma resposta