Planejando boas recordações

Gicele Lanser Correa – sócia da Vila Encantada e integrante da Avip

Gerar memórias felizes para as pessoas é o que me faz levantar todos os dias. Atuava na área têxtil, na indústria da minha família. Antes de me formar em Engenharia Civil, estudei Turismo. Já naquela época, me encantava a possibilidade de trabalhar com turismo recreativo. Hoje estou realizando e alcançando aquilo que sempre sonhei, desde os 18 anos.

Este ano, conquistei o segundo lugar na categoria personalidade no Troféu Beto Carrero – Excelência no Turismo, representando o trabalho que a Associação Visite Pomerode (Avip) realiza no fomento ao turismo e na organização de eventos na cidade mais alemã do Brasil.

Esse prêmio não é só meu, mas sim o retorno de um trabalho conjunto que o time da Avip e o auxílio de empreendedores audaciosos compõem. Conseguimos colocar a cidade na mídia nacional e no mapa do turismo através das suas peculiaridades, da identidade e da preservação da cultura dos imigrantes.

Mas para isso acontecer não bastou apenas ter uma cidade com essas características mas, sim, contar com uma equipe qualificada e engajada através do mesmo propósito. Foi preciso – e muito! – de um planejamento aprofundado, pensado nos mínimos detalhes para que atingíssemos o nosso objetivo.

Quem prestigia eventos – às vezes – pode nem se dar conta do quanto eles requerem esforços de todos os lados. Desde a questão financeira até as estratégias e formas de divulgação. Costumo comparar esse assunto ao compasso de dança: é preciso andar no mesmo ritmo, seguir os mesmos passos. Caso contrário, um atropela o outro e o resultado acaba não sendo aquele esperado, podendo, inclusive, colocar tudo por água abaixo. E infelizmente isso é mais comum do que se imagina.

O que mais falta, no meu ponto de vista, é realmente o planejamento. É difícil visitarmos certos eventos que saiam 100% perfeitos, no qual tudo parece exatamente como o programado. Há pessoas, muitas vezes, que acham que essas ocasiões podem ser organizadas de um dia para o outro, o que, óbvio, não tem como dar certo.

Eventos são mais do que aquilo que vemos. Atrás das cortinas é onde realmente tudo acontece. São necessários intensos meses para que o projeto ocorra como o esperado, levando o melhor para o público que dedicou seu tempo e dinheiro para prestigiar a programação. Essas pessoas não merecem menos do que o máximo que a empresa pode ofertar. Por isso eu digo, as palavras-chave para o sucesso dessas ocasiões são: foco, determinação e, principalmente, planejamento.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta