Para Gleisi, ainda é golpe. Para Ciro, o PT elegeu Bolsonaro

Ainda Golpe?

Para a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, a eleição ainda não acabou. Disse em coletiva que a vitória de Jair Bolsonaro é a consolidação do “golpe” que foi iniciado com o impeachment de Dilma Rousseff.

Gleisi também falou sobre a formação de uma frente democrática para barrar “maiores retrocessos” no país. Segundo ela, o presidente eleito, em conluio com o atual Michel Temer (MDB), estão planejando mais ataques aos direitos dos trabalhadores e à soberania nacional.

As tradicionais declarações desconexas da realidade de Gleisi. É a tentativa de sair dessas eleições como “a cabeça” (Haddad) de uma oposição, que tem Ciro Gomes na mesma corrida.

Ciro Gomes

Ciro Gomes (PDT), concedeu uma entrevista ao jornal Folha de S.Paulo nesta terça-feira (30). Em sua análise do processo eleitoral que passamos, Ciro disse que não “compreende tanto mais o Brasil”, que Bolsonaro “estava no lugar certo e na hora certa”.

Quando perguntado se a liberdade de imprensa está ameaçada, o pedetista disse que não, ainda citou o caso em que a Folha repercutiu uma matéria sobre relatos de estudantes de fraudes em avaliações nas escolas de Sobral (Ceará). Sobre os ataque de Jair Bolsonaro à Folha, afirmou que o jornal “tem capacidade de reagir e precisa também ter um pouco de humildade, de respeitar a crítica dos outros”.

Disse ainda que não tomou uma decisão sobre ser candidato em 2022, que seria pura especulação, que se puder não aliará mais ao PT, que movimentos de Lula e do partido elegeram Bolsonaro, e que, quer fundar um novo campo de esquerda.

“Fomos miseravelmente traídos por Lula!”

Informações: Folha

PDT, PCdoB e PSB

Os partidos fizeram uma reunião nesta terça-feira (30), para discutir uma atuação conjunta, fazendo frente a “hegemonia” do PT no campo da esquerda.

Segundo André Figueiredo, líder do PDT, “Trabalharemos um modelo de oposição que seja construtivo para o Brasil”.

Os três partidos elegeram 69 deputados federais, o PT 56.

Presidência da Petrobras

O economista Roberto Castello Branco, ex-diretor de relações com o mercado da Vale, é o preferido de Paulo Guedes para assumir a presidência da Petrobras, mas o vice-presidente de Bolsonaro, Hamilton Mourão, não concorda, quer um militar.

Justiça

Ao  jornal “O Estado de S. Paulo”, o juiz Sérgio Moro disse que aceitar o convite para assumir o Ministério da Justiça depende de uma conversa.

“Tudo depende de conversar para ver se há convergências importantes e divergências irrelevantes”, declarou o magistrado.

Moro pode também assumir uma cadeira no STF, a partir de 2021. Para ambos os cargos, nenhum convite formal ainda foi feito.

Ciência e Tecnologia

O astronauta Marcos Pontes confirmou nesta segunda-feira (29) que será ministro de Ciência e Tecnologia da futura gestão do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

“Novo presidente, novos rumos para o país. Eu estou muito feliz de ter participado não só da campanha, mas também da oportunidade de participar deste novo governo em uma área que tem sido a minha vida por 41 anos”, relatou Pontes em vídeo em sua página no Facebook.

Atualizado – O presidente eleito, Jair Bolsonaro, pelo Twitter, confirmou o nome do astronauta como ministro da pasta.

Reforma da Previdência

Depois de um “cálculo político” e a baixa possibilidade de uma aprovação, a Reforma da Previdência ficará para 2019.

Transição

Acontece nesta quarta-feira (31), a primeira reunião da transição de governo, Onyx Lorenzoni e Eliseu Padilha se encontram às 16h, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Informações: G1

2 Comentário

  1. Esta tal de Gleise teve estar louca , a eleição de Bolsonaro é Golpe ?

    Como é difícil para um petralha aceitar a derrota , como é dificil ser inteligente , como é dificil ter
    dignidade .

    O Lula preso , mandando no PT esta certo ?

Deixe uma resposta