Os dois PSLs de Santa Catarina

O Informe Blumenau trouxe a notícia sobre o racha no PSL de Santa Catarina. Um grupo liderado por três deputados federais quer destituir a Executiva Estadual comandada por Lucas Esmeraldino e outro grupo, dos seis deputados estadual e um federal, fez uma nota de apoio.

Leia mais aqui.

Abaixo publicamos, na íntegra, os dois manifestos, por ordem cronológica. Além da divisão, revelam uma certa vaidade.

“Diante dos mais recentes acontecimentos envolvendo a direção e a condução do PSL em Santa Catarina, os deputados federais eleitos que subscrevem, depois de ouvir o clamor da base da sigla e também de militantes pró-Bolsonaro, manifestam discordância e estranheza acerca de alguns fatos.

Os parlamentares discordam veementemente da forma como foi “definida” a nova executiva estadual do PSL. No apagar das luzes de 2018, sem critérios, sem diálogo e de forma personalista. Os nomes foram escolhidos pelo presidente estadual da sigla, de forma unilateral.

Um líder partidário deve dialogar com a base para que disponha de legitimidade e, assim, tenha capacidade de mobilização da militância, de lideranças regionais e de eleitos. Isso não está acontecendo. Muito embora reafirmamos total apoio ao governador Carlos Moisés da Silva, eleito com a maior votação da história de Santa Catarina, os parlamentares não concordam a exclusão da base das decisões do rumo do PSL catarinense.

O grupo entende que os eleitos, suplentes, filiados e militantes precisam estar sintonizados com o projeto partidário claro e abrangente, projeto que este que precisa estar sintonizado com o Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Ademais, o atual presidente estadual do PSL assumiu uma Secretaria importante no novo governo estadual e dificilmente conseguirá dedicar o tempo que a administração do partido merece e necessita neste momento tão delicado de transição política no Estado e no país.

Diante do exposto, e também de outras questões internas que ameaçam a estabilidade e o futuro do PSL catarinense, na forma como fora concebido, os deputados e líderes aqui nominados solicitam a imediata substituição da comissão provisória estadual de Santa Catarina, a ser composta da seguinte maneira:

Presidente: Caroline Rodrigues De Toni
Vice-Presidente: Luiz Armando Schroeder Reis
Secretário-geral: Daniel Costa de Freitas

Primeiro-Secretário: Suelen Lara dos Santos
Tesoureiro-Geral: José Carlos Carvalho Lucas
Primeiro-tesoureiro: João Vitor dos Santos Cechinel
Vogal: Edgar Lopes
Vogal: Julia Zanatta
Vogal: Júlio Cesar Lopes
Vogal: Marcelo Marcel Franco José da Silva
Vogal: Rutinéia Rossi

Por fim, os deputados federais eleitos abaixo assinados ficam à disposição para fornecer o rol completo de documentos dos novos membros integrantes da executiva estadual provisória do PSL-SC.
Termos em que pedem deferimento.

Brasília-DF, 9 de janeiro de 2019.”

Segue a nota do outro lado.

1 Comentário

  1. O que era o PSL até 2018 ? Nada. O PSL no Brasil terá muitos rachas e muitas caras.
    Só isto

Deixe uma resposta