O livro de Lula e Temer

Fernando Krieger

Estudante de Filosofia e editor do The Ironic Herald

 

De um lado, para contribuir com o livro, temos Luís Inácio Lula da Silva, o Barba (segundo Tuma Jr. esse era o codinome usado pelo ex-presidente quando era informante do Tuma no DOPS na época da Ditadura Militar).

Com seu otimismo admirável Lula e o seu partido ainda sustentam que ele será candidato e esperam algo que chega tocar a fé de que o processo será arquivado e que ele será o nosso próximo presidente do Brasil, alguém que por exclusividade tem a capacidade de colocar o Brasil novamente nos eixos, quase messiânico.

Depois de ter seu pedido de habeas corpus preventivo negado pelo STJ, o petista ainda grita palavras de ordem e frases prontas contra o sistema judiciário,  tenta manter o “povo”, aliados e seus militantes ao redor da sua figura, tentando colar a ideia de que uma eleição sem Lula seria uma fraude.

Contribuindo também para esse livro, temos o atual presidente e mordomo do Jaburu Michel Miguel Elias Temer Lulia. Temer poderia contribuir com o livro falando de autoestima. Com uma popularidade beirando os dígitos negativos, o atual presidente ainda vislumbra a possibilidade de se tornar o candidato do Planalto para as próximas eleições, apesar de não declarar isso publicamente.

Em uma reunião no último domingo (4), Temer ouviu do presidente do MDB, senador e profeta Romero Jucá (RR), que é preciso começar a construir a campanha e reforçar a defesa do governo.

Líder do governo no senado, Jucá já defende, mesmo que nos bastidores, a candidatura do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que hoje está no PSD do Kassab, mas que seria bem vindo ao MDB, fato que deve ocorrer no início de abril, quando o ministro precisa entregar o comando da pasta.

Temer tem feito até uma espécie de enquete com aliados para saber qual seria o nome, no espectro centro, que teria mais visibilidade eleitoral. Embora haja resistência de dirigentes do próprio MDB à candidatura do Mordomo, o núcleo político do governo ainda não descartou a possibilidade de Temer ser o candidato, o que coloca um “lindo” sorriso naquele “lindo” rosto do nosso “querido” presidente.

Quem sabe uma chapa PT e MDB novamente? Lula presidente e Michel vice? (Não pode rir!)

Fica aqui a ideia e o convite para Lula e Temer. Espero ansiosamente para nos reunirmos em um boteco, tomar uma cachacinha, comer uma coxinha e um sanduíche de mortadela para colocar em prática o livro “Otimismo e Autoestima por Lula e Temer”. Certeza que será um sucesso!

2 Comentário

  1. Alcino Carrancho, Aquele Que Nestas Próximas Eleições Somente Votará em Candidato "Zero Quilômetro" disse:

    “Sucesso” foi o teu comentário neste quadro do Alexandre Gonçalves, denominado “OPINIÃO”.

    Parabéns, portanto, prezado Fernando Krieger!

    Na política não há amigos, mas apenas um cambada de filhos da puta que se unem de vez em quando para nos fo@&r! (parafraseei Victor Lasky ao meu jeito, rsrsrsrs…).

    Está nas minhas mãos dar um jeitinho nessa situação, não votando em candidato velho nestas próximas eleições.

    Junta-te a mim, Fernando Krieger!

Deixe uma resposta