O café com a imprensa do SAMAE de Blumenau

Foto: Informe Blumenau

Com atraso, escrevo sobre a coletiva chamada pelo comando do SAMAE de Blumenau, realizada na segunda-feira, 11.

Com o respeito que me merecem, entendo que foi uma curva para chegar no objetivo principal, que era falar de mais um contrato emergencial para coleta de lixo em Blumenau.

Tanto que nem no release oficial da Prefeitura trataram do tema para qual o bate papo com a imprensa foi chamado, que seria uma prestação de contas da autarquia.

Antes de tocar no assunto lixo, o presidente da autarquia fez uma explanação dos números da autarquia. Alexandro Fernandes disse que a meta principal é zerar o déficit de R$ 4, 4 milhões. Está convicto disso.

Perguntei sobre o déficit que a atual administração recebeu quando assumiu o SAMAE, lembrando que o mesmo Governo está no seu quinto ano de mandato.   Este número não estava na ponta da língua.

Alexandro explicou que alguns serviços, como a própria coleta de lixo, eram deficitários e agora não mais. Todos estariam auto-sustentáveis.

Alexandro Fernandes disse que está tomando várias medidas para fazer uma “economia inteligente”, com foco no microgasto, redução de contratos vigentes e diminuição do desperdício.

O faturamento das taxas de água, lixo e esgoto (esse vai para a BRK) tem crescido nos últimos anos, em especial no ano passado. A receita de água, por exemplo, aumentou cerca de R$ 20 milhões de 2015 para 2016.

Outros dados apresentados pelo presidente da autarquia. Foram investidos R$ 1 milhão no primeiro semestre na expansão da rede de abastecimento de água e a promessa é mais R$ 1, 5 milhão para esta segunda parte de 2017.

O reservatório R9, na Itoupava Central, já está em funcionamento, mas a inauguração oficial acontecerá no dia 28 de setembro.

Existem 90 mil ligações de água na cidade, mas o número de unidades consumidoras é bem maior.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

3 Comentário

  1. Deficit com o Lixo para uma instituição que arrecada mais de 12 milhões por mês?? Sendo que o mínimo que se cobra de lixo é R$ 16,65, isso somando numa matemática ilustrativa (vezes) 200.000 habitantes 3,322,00 reais. Quando sabemos que tem empresas e comércios que pagam muitos mais. O deficit com 4.000 milhões deixado pela administração anterior é aceitável, pois fizeram muitos investimentos como frotas, ETA compacta e Reservatório da Itoupava Central, e as manutenções na rede? Mas essa administração atual só está com a manutenção das redes? investimento nenhum?? Não colou!

  2. O SAMAE é um poço sem fundo para gastar recursos públicos .

    Contrato emergencial é fachada até que consigam entregar o serviço para SANEPAV , ou alguem
    esqueceu da Piracicabana ?

Deixe uma resposta