Investigação, apoio, visita, debate e mais

Paulo Guedes

Paulo Guedes, o guru econômico de Jair Bolsonaro, é investigado por suspeita de fraude. Guedes teria se associado a executivos ligados a PT e MDB para praticar fraudes em negócios com fundos de pensão de estatais. A reportagem é do jornal Folha de S.Paulo.
Segundo o jornal, o economista teria captado R$ 1 bilhão.

Governadores

Na mesma entrevista em que declara neutralidade na disputa pelos governos nos estados, inclusive Santa Catarina, Bolsonaro disse que a única exceção será Roraima, onde o candidato do PSL, Antonio Denaruim, vai disputar contra o tucano José de Anchieta.

Tucanos no muro

O PSDB decidiu liberar os seus militantes e líderes para apoio e voto em que quem quiserem neste segundo turno. O partido, oficialmente, não apoiará nem Haddad, nem Bolsonaro.

O ninho

Na mesma reunião que decidiram pela neutralidade, Alckmin e Dória se estranharam. Em determinada fala de Dória, Alckmin interrompeu e disse: “Traidor eu não sou”.

As visitas

A presidente do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, disse que o ex-presidente Lula pediu para Fernando Haddad não visitá-lo mais na Polícia Federal em Curitiba.

PDT

Em nota, o partido que teve Ciro Gomes como candidato a presidente nestas eleições, anunciou “apoio crítico” ao petista Fernando Haddad.

“A Executiva Nacional do PDT, reunida nesta quarta-feira na sede nacional do partido, em Brasília, declara seu apoio crítico à candidatura de Fernando Haddad para evitar a vitória das forças mais reacionárias e atrasadas do Brasil e a derrocada da democracia”, declarou o partido.

Além de PDT, PPL, PSB e PSOL já declararam apoio a Fernando Haddad.

Neutros

Além dos tucanos, estarão neutros neste segundo turno: Democracia Cristã, Democratas, Novo, Patriota, Podemos, PP, PPS, PR, PRB e Solidariedade.

Bolsonaro

Com Bolsonaro, apenas o PTB, partido de Roberto Jefferson e Cristiane Brasil.

Bolsonaro 2

Os médicos se reuniram nesta quarta (10), e Jair Bolsonaro não está liberado por enquanto. “Por enquanto ele não está liberado [para eventos de campanha]. Não sei a respeito do debate, sei que na quinta-feira [dia 18] ele estará conosco no [Hospital Albert] Einstein [para uma nova avaliação médica]”, disse Macedo, médico do candidato.

Fonte: UOL

Haddad

Enquanto a equipe médica de Bolsonaro falava com a imprensa na porta da casa de Bolsonaro, Fernando Haddad dava entrevista coletiva para veículos estrangeiros. Ele criticou o fato de Bolsonaro não comparecer ao evento e disse que  “irá na enfermaria em que ele estiver” para “debater o Brasil”. “Eu vou até uma enfermaria, na boa, fazer o debate porque nós temos que passar a limpo muita coisa”, disse o petista a jornalistas estrangeiros em São Paulo.

Fonte: UOL

1 Comentário

  1. O partido de Ciro Gomes vai apoiar Haddad ?

    O candidato Ciro Gomes por diversas vezes disse poucas e boas do PT , agora vão se aliar ?

    A esquerda brasileira ainda tem coragem de chamar os apoiadores de Bolsonaro de Facistas ?

    Bando de vendidos , esquerdopatas , pessoas sem dignidade alguma .

Deixe uma resposta