Informe Eleições – Curtas da Política Nacional

A partir de hoje, essa coluna se dedica a informar diariamente os nossos leitores com as movimentações do cenário político nacional, desse momento até as eleições de outubro. Ela é escrita pelo Fernando Krieger, colaborador voluntário, parceiro do Informe Blumenau.
Fiquem à vontade!

Esvaziando o barco

Com o bloco do chamado “centrão” cada vez mais próximo de se concretizar, mais candidatos devem abandonar o barco e oferecer apoio a outro candidato com maiores possibilidades de vitória.

Segundo reportagem do Globo, Rodrigo Maia (DEM), Aldo Rebelo (Solidariedade) e Flávio Rocha (PRB) estão no caminho de desistirem de suas candidaturas para apoiar o tucano Geraldo Alckmin (PSDB).

Só falta Geraldo decolar, o tucano olha para o cenário do telhado já faz um tempo.

Doações para as campanhas

A doação de dinheiro de pessoas físicas para os pré-candidatos por meio de “crowfunding” estará liberada a partir de hoje (15).

O “crowdfunding” é nome que se dá ao financiamento coletivo captado por meio da internet, também apelidado de “vaquinha virtual”.

Com a proibição das doações empresariais, a novidade foi legalizada no ano passado, na minirreforma eleitoral aprovada pelo Congresso.

Mas lembrando que esse tipo de doação só será possível por meio de empresas/sites autorizados pelo TSE.

É uma prática bem comum nas eleições norte americanas, vamos ver se por aqui isso vai render alguma coisa.

“Meirelles é mais candidato do que eu”

O presidente Michel Temer sinalizou ao blog do Gerson Camarotti que as chances do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles ser o candidato do MDB é maior. Contudo, a definição só acontecerá em julho.

“Não sei ainda se serei candidato. Vou esperar o mês de julho. Mas tem o Meirelles. O Meirelles é mais candidato do que eu”, afirmou o presidente ao blog.

“Mas vai acabar tendo candidato”, enfatizou o presidente.

Temer ainda relatou as rodadas de conversas com os 27 presidentes estaduais do MDB. Segundo ele, “alguns” não querem que a legenda tenha candidato.

Os diretórios estaduais tem diversos interesses, inclusive alianças com o PT e o PSDB.

MDB sempre PMDB.

Não pode ver uma vergonha que já quer passar

Com uma impopularidade de dar inveja ao Fernando Collor, o governo de Michel Temer não pode ver uma vergonha que já quer passar.

A mais nova gafe foi relatada pelo Estadão nesta terça.

O convite para a desnecessária festa de dois anos de governo teve de ser refeito às pressas por conta de um vírgula: “O Brasil voltou, 20 anos em 2.”

Sem o sinal de pontuação, a frase seria um prato cheio para um marketing mal sucedido e com certeza seria usado pela oposição.

Temer mandou reformular os slogan para “Maio de 2016 – Maio de 2018 – O Brasil Voltou”.

Mas enfim, festa?

Olho no voto

Muita atenção na hora de decidir o seu voto. Dos 55 deputados federais alvos de inquéritos ou ações penais na Lava Jato, 50 serão candidatos a algum cargo em outubro.

42 dos 44 buscam reeleição.

1 Comentário

  1. Alcino Carrancho, Aquele Que Nestas Próximas Eleições Somente Votará em Candidato "Zero Quilômetro" disse:

    Prezado senhor Fernando Krieger, quero lhe agradecer por este alerta que destaco: “Muita atenção na hora de decidir o seu voto. Dos 55 deputados federais alvos de inquéritos ou ações penais na Lava Jato, 50 serão candidatos a algum cargo em outubro.”

    Eu, Alcino Carrancho, El Defenestrador Implacable, saberei resolver essa parada da forma mais simples: somente votarei em gente nova!

    Lembro a frase que adoto: A Simplicidade é o Último Degrau da Sabedoria!

    Simples, assim!

Deixe uma resposta