CPI da Toga, Bolsonaros na Casa Branca e o decreto do presidente sobre os vistos e seus impactos

CPI da Toga

O senador Alessandro Vieira (PPS-SE) protocolou nesta terça-feira (19) requerimento para que o Senado instale uma CPI para investigar os ministros do STF e tribunais superiores.

Na noite desta segunda-feira (18), o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), em uma entrevista ao Roda Viva da TV Cultura se posicionou contra a instalação da CPI.

Disse estar disposto a um diálogo para uma reforma e o aprimoramento do Judiciário.

Deve barrar o que estão chamando de “CPI da Lava Toga”.

Bolsonaro na Casa Branca

No encontro bilateral entre Trump e Bolsonaro, o presidente dos Estados Unidos afirmou que apoia o ingresso do Brasil na OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

A OCDE atua como uma organização para cooperação e discussão de políticas públicas e econômicas que devem guiar os países que dela fazem parte. Para entrar no acordo, são necessárias a implementação de uma série de medidas econômicas liberais, como o controle inflacionário e fiscal. Em troca, o país ganha um “selo” de investimento que pode atrair investidores ao redor do globo.

Com informações: G1

Defesa do muro e o caso Venezuela

Bolsonaro – que não tem um sobrenome Tupi – também defendeu em Washington que a grande maioria dos imigrantes é mal intencionada “e não deseja fazer o bem ao povo americano”.

Destacou as semelhanças com Trump e disse ter restrições a uma intervenção militar na Venezuela.

Com informações: DW

Protagonismo do clã

Quem esteve com Bolsonaro e Trump no Salão Oval não foi o ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, e sim, o filho do presidente Eduardo Bolsonaro.

Quase virando uma monarquia. Hoje, sem piadas com bobo da côrte.

Sem visto, sem grana

Com o decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, isentando Estados Unidos, Canadá, Austrália Japão da necessidade de visto para que seus cidadãos entrem em nosso país, o governo deixará de arrecadar R$ 60,5 milhões por ano (em média) com a emissão destes documentos.

A defesa do governo é de que a isenção de vistos vai alavancar o turismo, trazendo mais recursos ao Brasil.

Principal beneficiado pelo decreto do presidente Bolsonaro, os Estados Unidos ainda são o segundo principal emissor de turistas estrangeiros para o Brasil. Em 2017, foram 475 mil turistas. O primeiro lugar ficou com a Argentina, que enviou 2,2 milhões. Apesar de ocupar o segundo lugar no ranking, o tamanho dos Estados Unidos vem diminuindo ano após ano desde 2014. Entre 2014 e 2017, a redução foi de 28%.

Com informações: Itamaraty e UOL

Resumo do Brasil: a CPI da Toga, Bolsonaros na Casa Branca, o muro, os imigrantes e o decreto do presidente sobre os vistos e seus impactos.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta