Comitê da Duplicação da BR-470 vai se reunir com entidades de classe

O comitê foi criado em março, para acompanhar e pressionar pela duplicação da BR 470 nos quatro trechos onde as obras já começaram, de Navegantes a Indaial. O ex-prefeito de Blumenau Félix Theiss é o coordenador, emprestando sua energia, credibilidade e carisma para o debate.

No próximo dia 11, terça-feira, ele e outros representantes do comitê reúnem-se com a diretoria  da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL), em Itajaí. O objetivo será chamar a atenção para os impactos econômicos e sociais causados pelo atraso na duplicação da rodovia, que começou em 2013 e se arrasta até o momento. E é claro, para as mortes e feridos em acidentes ocorridos na estrada.

Em breve, será agendada uma reunião com os prefeitos da região, para organizar uma mobilização conjunta.

O comitê reuniu alguns dados para os debates.

Contabiliza mais de 1,7 mil mortes registradas na BR-470 entre 2000 e 2017.

Faz também um comparativo entre os custos para conclusão dos trabalhos nos 73 quilômetros previstos e a arrecadação tributária:  “O custo da duplicação no trecho entre Navegantes e Indaial é de 1,5 bilhões. Neste ano seria necessária uma verba de R$ 400 milhões para tocar a obra, e foram destinados apenas R$ 120 milhões. Para se ter uma ideia do descaso, juntando os impostos arrecadados no Médio Vale (R$ 27,4 milhões/dia), a obra completa estaria paga em 56 dias. Se considerarmos os impostos federais (R$ 18,9 milhões/dia) levaria 79 dias”, aponta Emílio Schramm, presidente do Sindlojas, que também integra o comitê.

Outro fator trazido é o prejuízo econômico, já que a BR-470 é utilizada diariamente para o transporte de mercadorias para o Porto de Itajaí. Em 2016, o Complexo Portuário de Itajaí/Navegantes exportou um total de R$ 6,7 bilhões – cerca de 80% dos produtos manufaturados de Santa Catarina que são exportados saem por Itajaí/Navegantes. “Não é uma simples campanha que estamos fazendo, é um conjunto de ações que visam principalmente colocar este trecho da BR-470 nos orçamentos do governo federal. Estamos falando de vidas, segurança, empregos, produtividade, logística, turismo, desenvolvimento, questões importantes para toda a Santa Catarina. Os números comprovam”, destaca Felix Theiss.

O Comitê da Duplicação da BR-470 fez um material bem completo para ser apresentado em Itajaí. Compartilho aqui.

Fonte: da redação, com informações da assessoria

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta