Colesterol: inimigo silencioso

Alexandre José Ferreira

Cardiologista e presidente da Unimed Blumenau

Na data em que se celebra o Dia Nacional de Combate ao Colesterol, é de extrema importância que se entenda a necessidade de mudar hábitos para lutar contra o colesterol elevado no organismo. De acordo com a última Pesquisa Nacional de Saúde, 18,4 milhões de brasileiros foram identificados com colesterol considerado alto, número que representa 12,5% da população.

Dentro das quantidades consideradas normais, esse tipo de gordura não causa males ao corpo, é inclusive importante para a produção de hormônios. Porém, quando em excesso, devido a hábitos ou herança genética, pode se tornar um fator de risco importante e, em alguns casos, até mesmo fatal. Isso se dá porque o colesterol não costuma apresentar sintomas, a não ser que esteja em nível elevado no corpo, já causando o entupimento das artérias.

Um dos tipos de colesterol mais famosos é o LDL (Low-densitylipoprotein), ou mau colesterol, que ao se acumular pode levar à formação de placas que impedirão o fluxo sanguíneo em sua normalidade para órgãos essenciais, como coração e cérebro, aumentando assim o risco de infartos e acidentes vasculares cerebrais.

A hipercolesterolemia familiar heterozigótica e a síndrome metabólica são outros exemplos de males tão prejudiciais quanto o entupimento das artérias. Uma transmite aos filhos, desde o nascimento, a condição de portador de colesterol alto. A outra, que pode vir a causar afecções coronárias antes dos 40 anos, tem no colesterol um dos principais agravantes.

Para controlar os índices, é preciso cuidar da saúde e mudar o estilo de vida, o que inclui prática de atividades físicas e boa alimentação. Os alimentos ingeridos representam cerca de 30% do colesterol do corpo.

Somente assim, com atenção, cuidados e mudanças é que as estatísticas começarão a diminuir e os resultados positivos começarão a ser vistos. A melhora dos hábitos representa uma população mais saudável e consciente de que precisa agir. Se o colesterol é um inimigo silencioso, nossa defesa contra ele deve ser alarmante.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta