Ciro: “Em meu governo, Villas Bôas estaria demitido”

“Fundo do poço”

Marina Silva (Rede), afirmou nesta quarta-feira (12) em entrevista à rádio Super, de Minas Gerais, que o recém oficializado candidato do PT , Fernando Haddad, é “muito semelhante” a Dilma Rousseff.

Segundo ela, votar em “indicado” pode levar o Brasil novamente ao “fundo do poço”.

Informações G1

Poste

Fernando Haddad (PT) foi oficializado como candidato, além de reunir os votos dos órfãos, precisa se livrar do carimbo de “poste” de Lula. O último “poste” foi a Dilma, e é bom evitar comparações.

Adversários vão tentar colar o ex-prefeito a ex-presidenta…

Haddad tem que ser Haddad, candidato à Presidência.

Passaporte

Perdido como um picolé no sol, Alckmin (PSDB) deve investir na “conscientização” do eleitorado, “votar em Bolsonaro é um passaporte para a volta do PT”.

Resta convencer esse eleitorado a votar no PSDB.

Nem o Lula vai votar no Haddad

O TRE-PR negou a Lula o direito de votar na sede da Polícia Federal onde está preso.
Precisa ter no mínimo 20 presos para a urna ser disponibilizada e criada uma seção eleitoral.

Ciro: “Em meu governo, Villas Bôas estaria demitido”

O candidato pelo PDT participou hoje (12), de uma sabatina do jornal “O Globo” em parceria com o “Valor” e a revista “Época”.

Sobre a substituição de Lula por Haddad foi crítico e disse que “o Brasil não aguenta outra Dilma”.

No momento em que foi perguntado sobre a sua futura relação com as Forças Armadas, caso eleito, Ciro foi enfático: “”Eu mando e eles obedecem”.

Sobre declarações polêmicas recentes do chefe do Exército, general Eduardo Villas-Bôas, de que “a legitimidade de novo governo pode até ser questionada”, Ciro disse que, na avaliação dele, o comandante tentou “calar as cadelas no cio que estão abaixo dele se animando com a candidatura de Jair Bolsonaro”.
Segundo ele, o candidato do PSL à Presidência “representa a destruição da nação brasileira”.

Ainda sobre um general, afirmou: “É um jumento de carga. Acha que tem o poder. Ele disse para a imprensa estrangeira ‘nós é que somos os profissionais na violência’. Olha para quem estamos ameaçados de entregar o nosso país”, ironizou o pedetista sobre a declaração na qual o General Mourão, vice de Bolsonaro, afirmou que os militares são “profissionais da violência”.

Informações G1

E se Bolsonaro for eleito?

“Vou desejar boa sorte a ele, cumprimentá-lo pelo privilégio e depois vou chorar. Eu saio da política. A minha razão de estar na política é confiar no povo brasileiro”.

Ainda Ciro, na mesma entrevista!

Sobre as declarações de Ciro:

General Mourão diz em nota que Ciro é despreparado.

2 Comentário

  1. Jumento de carga é o candidato , gostaria de ver um debate entre ele e o General Mourão .

    Avisem o jumento que não se demite um general .

Deixe uma resposta