Câmara de Vereadores debate segurança pública


Se considerarmos a Câmara Municipal como a casa do povo, é possível dizer que a audiência sobre segurança pública, realizada nesta segunda-feira, 20, estava bem representativa. O plenário estava cheio, com muitas lideranças comunitárias, principalmente as ligadas aos Conselhos de Segurança.

Isso foi bacana.

Mas as ausências foram mais significativas.

O prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) e o vice Mário Hildebrandt (PSB) não foram. Nenhum secretário municipal esteve presente, nem o de Defesa do Cidadão, Rodrigo Quadros (DEM).

Quatro vereadores faltaram a audiência aprovada por todos 15 parlamentares. São eles:  o presidente Marcos da Rosa (DEM), Becker (DEM), Marcelo Lanzarim (PMDB) e Sylvio Zimmermann Neto (PSDB), também líder do governo.

Os deputados estaduais Jean Kuhlmann e Ismael dos Santos (PSD) também não apareceram. Eles são do partido do Governador, em tese, tem trânsito livre na capital. Ao que me consta, tinha uma reunião do partido em Blumenau no mesmo horário e provavelmente esta tenha sido a agenda deles.

As entidades empresariais fizeram que não era com elas. Não tinha ninguém da ACIB, CDL, Intersindical, Sintex, etc.

Ou seja, o povo até foi debater a situação da segurança pública, puxado pelos vereadores. Mas quem manda, tem o poder da caneta ou de fazer uma pressão política mais contundente, preferiu ficar em casa ou tocar outras tarefas.

Vale lembrar que as entidades já reuniram-se com o prefeito Napoleão e sua equipe e montaram um grupo de trabalho para tratar do assunto junto ao Governo. 

Portanto, entendo a audiência importante, mas esvaziada de representação, política e empresarial, no que diz respeito ao funcionamento do sistema.

Em respeito, é preciso destacar quem esteve, começando pelos 11 vereadores: Adriano Pereira (PT), Bruno Cunha (PSB), Jens Mantau e Alexandre Mathias (PSDB), Almir Vieira e Ricardo Alba (PP), Jovino Cardoso e Professor Gilson (PSD),  Alexandre Caminha (PROS) e Zeca Bombeiro (SD).

Se os vereadores do DEM não compareceram, estava lá o primeiro suplente Carlos Wagner, o Alemão.

A deputada estadual do PT, Ana Paula Lima, foi a unica representante eleita da Assembleia Legislativa. O ex-prefeito de Timbó, Laércio Schuster, do PP, hoje assessor especial da Presidência da Alesc, marcou presença.

Dois vereadores de Gaspar vieram para o debate, os mesmo que propuseram a recente audiência comunitária na região do Belchior, por conta da penitenciária.

A OAB esteve representada por algumas comissões e pelo Conselho da Comunidade, com a advogada Marilu Ribas.

Emerson Antunes, secretário executivo da ADR Blumenau liderava a comitiva do Estado, junto com a comandante da 7ª Regional, Claudete Lehmkel, do 10º BPM, Jefferson Schmidt, além do delegado regional, Rodrigo Marcheti.

Foto: Informe Blumenau

 

Apesar do esforço do vereador Ito (PR), proponente, junto ao governador na última quinta-feira, não veio ninguém do Governo do Estado com poder da caneta, de investimento, de decidir algo.

Foto: Informe Blumenau

Ou pelo menos ouvir o que os daqui ouvem sempre.

O governador assinou o papel apresentado pelo vereador, mas não mandou quem deveria mandar.

Fico pensando se a Prefeitura e as entidades tivessem abraçado a audiência pública dos vereadores com a comunidade. Seria diferente.

Mas preferem fazer a conversa no andar de cima.

Nesta falta de unidade, percebemos a criminalidade bater em nossas portas.

Cada um por si.

A abertura da audiência, com as formalidades, o anúncio dos presentes e o discurso do vereador Ito transmitimos ao vivo pelo Face e se quiser conferir está aqui.

Comentários

comentários

Powered by Facebook Comments

9 Comments on "Câmara de Vereadores debate segurança pública"

  1. Pensador. | 21/03/2017 at 10:55 |

    Qdo é de um interesse escuso, essa cacalhada aparece tudo.

  2. Cada vez mais os representantes do povo percebem que se querem galgar MAIS degraus na política, com MENOS aparições para votações e discussões de temas polêmicos, mais chances de sucesso nas urnas, terão lá na frente. A prática já provou isso.

  3. Rubens Serpa | 21/03/2017 at 11:24 |

    Estas são as lideranças da cidade …um fato tão importante e não aparecem .

    Blumenau merecia mais .

  4. Alcino Carrancho | 21/03/2017 at 11:30 |

    Ressalvando as eventuais justificativas quanto às importantes ausências…

    Senhores: tenham vergonha na cara!

    Tenham vergonha na cara todos aqueles que seriam importantes ao debate e se abstiveram.

    É assim que queremos preparar o futuro dos nossos filhos e netos?

    Muitos acham que os problemas do Brasil (Blumenau incluída) se resolvem numa mesa de bar em meia hora de conversa.

    Parabéns, ANA PAULA LIMA (assim com as letras o mais maiúsculas possíveis). Odeio o teu partido, mas folguei imenso em saber que não nos abandonaste.

    Bem hajas, ANA PAULA LIMA!

    Alcino Carrancho

  5. RENATO | 21/03/2017 at 13:01 |

    E assim caminha a humanidade…..sem humanidade, sem comprometimento, sem evolvimento sem nada….
    Comunidade de Blumenau: continuemos a pagar nossos impostos e defendam-se…daquele jeito…cada um por si….

  6. Rubens Serpa | 21/03/2017 at 13:06 |

    Quatro vereadores faltaram a audiência aprovada por todos 15 parlamentares. São eles: o presidente Marcos da Rosa (DEM), Becker (DEM), Marcelo Lanzarim (PMDB) e Sylvio Zimmermann Neto (PSDB), também líder do governo.

    Só para lembrar aos eleitores destes “Nobres” Edis ….

  7. valdeci | 21/03/2017 at 13:49 |

    Segundo a informação acima, será inaugurado nesta terça fera, onde, horário, convites, o seja tudo no escuro, tudo Maul informado, tudo porque o povo paga para elite se beneficiar, ainda tem gente q diz q os polidos são sangue suga, esta máfia o q, é?

    Sob: os não representantes na audiência é simples, as entidades representada só terão beneficio se a sociedade se envolver maciçamente, ou seja apoiar os representante de suas aria representadas.
    Nos, anos 90, tivemos o mesmo problema com segurança, quem acompanhou na época lembra q, não tínhamos em Blumenau, policiais militares, policiais civis, corpo de bombeiro, ou seja, não tinha, viaturas, equipamentos obrigatória, e outros, nós famos em busca das respostas, e conseguimos, mais do q o esperados, mesmo contra, câmara dos vereadores, e deputados estaduais e federais, q sempre falavam, q segurança era dever do estado, q nos não devamos nos envolver, nos reprimia, nossas cobrança, eu construí, o, conselho de apoio a segurança do grande Garcia. Veio imediato as respostas, estalamos, as unidades operacionais, o , bombeiros nos bairros e delegacias nos bairros, hoje o q você vê é; abandono do q foi construído. Porque as novas lideranças do conselho, trocaram a responsabilidades de segurança, para fazer campanha eleitorais, ou seja se candidatar a cargos políticos e apoiar policos, ai esta as resposta. Não se faz politica comunitária com politica publica, a diferença é q, nos temos o poder de manifesto serio, os políticos tem q cumprir regras partidárias, assim como o próprio consegue.

  8. Antônio | 21/03/2017 at 13:54 |

    Quem é inteligente nem perdeu tempo, com esse Karaokê. Participei daquela que o Jean Kulmann fez na era JPK, na antiga Câmara. Se de lá não saiu nada, imagina hoje que ninguém mais tem ideologia e nem leva nada a sério, nem o MP.

  9. Rubens Serpa | 21/03/2017 at 23:07 |

    Alcino

    Parabéns pelo comentário, pode ser contra uma legenda, mas não contra pessoas.
    Onde estavam o chefe do legislativo e do executivo?

Deixe uma resposta