Simulado de Reação a Desastres Naturais chega ao fim

.

Publicidade camara_blu_hz

Blumenau viveu uma semana atípica, daquelas que estamos acostumados a enfrentar nas tragédias climáticas, sem sofrer o impacto delas. Isso por conta do Simulado de Reação de Desastres, uma iniciativa do Exército Brasileiro que envolveu vários órgãos, como a Defesa Civil do Estado, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e vários setores da Prefeitura de Blumenau.

O simulado também foi realizado em Pomerode, Gaspar e Itajaí.

Blindados, helicópteros, sirenes, resgates movimentaram a rotina da cidade, mas tendo São Pedro como aliado nesses dias.

Nesta sexta-feira, 18, último dia do simulado, serão feitas reuniões entre os órgãos participantes e também para confecção do relatório dos exercícios.

Em entrevista a Rádio Nereu Ramos de Blumenau nesta quinta, o secretário adjunto da Defesa Civil do Estado, Fabiano de Souza, fez um balanço positivo das atividades.

“Tudo foi muito satisfatório. Nestes três dias, foi possível avaliar e constatar que nós conseguimos cumprir o objetivo inicial, que era o de integrar as forças de defesa. Tivemos um entrosamento espetacular, todos se respeitaram” destaca.

Fabiano de Souza falou ainda da importância em ter forças de segurança preparadas. “Em situações reais, como estas que foram recriadas, é muito importante que se tenha equipes de socorro e de segurança preparadas. Fizemos exercícios de resgates e de abastecimento de abrigos com itens de sobrevivência como água, alimentos e remédios trazidos de outras cidades e o resultado foi muito bom. Tivemos agilidade neste tipo de situação. Também conseguimos montar um acampamento no complexo esportivo do SESI para um grande contingente em apenas um dia. Nesse período, tivemos pessoas de várias partes do país que vão sair com um uma ótima impressão, o que faz do nosso estado referência para estas situações.” ressalta.

O secretário anunciou que nova edição do simulado já está prevista em outras cidades do estado de Santa Catarina para o segundo semestre deste ano. “Nós devemos fazer uma nova série destes exercícios, especialmente em Ilhota, em novembro, bem próximo da data em que a tragédia completa dez anos. Nessa oportunidade, nós vamos abranger também a comunidade nos treinamentos. Vamos realizar exercícios de evacuação de prédios, de abertura de abrigos entre outras atividades.”

1 Comentário

  1. Quem pagou essa conta? sim, foi nossos impostos!
    Como se não houvessem desastres ambientais que chega por aqui…!

Deixe uma resposta